Archive for the ‘Primeiro trimestre’ Category

A família…

outubro 12, 2007

familia.gif 

A hora de contar pra família foi um dos momentos mais legais da gravidez…

Eles esperavam isso a muito tempo (desde que casei, em 2005) e sei que não me pressionavam, mas secretamente se perguntavam quando.  Eu tinha de realizar alguns sonhos antes e deixei isso bem claro: “eu decido o momento”.

Minha mãe, que como eu já contei está se recuperando de um câncer, aparentemente ganhou mais energia na briga contra essa doença. Meu pai, que criou 6 filhos, ficou emocionadíssimo. Meus irmãos fizeram a maior festa e apostaram em um menino (tenho 4 irmãos homens e 1 mulher)….mas o que importava mesmo pra eles é que, independente do sexo, o bebê tinha que ser palmeirense (credo!). Espero que a Sofia não goste de futebol.

Minha vó querida, que está firme e forte com 82 anos, talvez tenha sido a pessoa que mais se encantou. Ela vai virar bisavó e isso é muito especial.  Achou na casa dela dois xales maravilhosos e vários sapatinhos de tricô que haviam sido meus, lavou, passou novas fitas e me deu. E o mais legal: tudo confeccionado por ela mesmo. Fiquei apaixonada pelo presente e sei que a Sofia vai ficar honradíssima de usar os xales feitos pela vovó.

Minha sogra e meu sogro ficaram exultantes e sempre que ligam pra nossa casa, perguntam da Sofia antes de perguntar do Maurício. Eu e ele ficamos em segundo plano, mas é natural. Quero mesmo que todas as atenções sejam para ela neste momento. Ela merece.

O Chumbinho, meu cachorrinho querido e fofo, já está percebendo que algo está mudando na nossa casa. Eu tenho um certo receio que ele fique muito ciumento em relação à bebê, mas terá que se acostumar. Ele é super grudado com a gente, principalmente comigo e quando começar a não receber atenção exclusiva, vai sair aprontando pela casa toda (leia-se fazendo xixi). Mas sei que será apenas no início e logo se acostumará com a Sofia e eles serão grandes amigos. Faz muito bem pra uma criança ter uma bichinho de estimação e como o nosso é hiper carinhoso e nada violento, tenho certeza que os dois vão se amar.

Anúncios

OS ENJÔOS

outubro 12, 2007

morning-sickness.gif 

Essa sem dúvida é a pior parte do primeiro trimestre. Eu passei verde a maior parte dos 3 primeiros meses. De manhã tudo era sempre pior e eu já acordava quase vomitando e corria para o banheiro. O Maurício chegou a sugerir que eu deixasse um balde ao lado da cama pra qualquer imprevisto. Achei de péssimo gosto, hahaha. A gravidez não é um mar de rosas quanto as pessoas dizem; nem do ponto emocional afinal eu me sentia como se estivesse numa montanha russa de sentimentos; muito menos do ponto de vista físico, mas eu acho que mesmo os enjôos tem o seu papel: impedir a grávida de engordar muito. Eu não conseguia realmente comer e segurei muito bem o meu peso no início. Até agora ganhei bem pouco peso, graças a Deus. Fico imaginando grávidas que ganham mais de 20kg na gravidez e fico em pânico! Deus me livre. Outro ponto bem incomodativo é o sono e uma incrível sensação de cansaço, que misteriosamente passa no segundo trimestre. Nos momentos nos quais minha energia estava abaixo de zero e que me diziam que depois das primeiras 15 semanas tudo melhoraria ….eu realmente não acreditava, mas é a pura verdade. Tudo melhora e muito. Meu Deus, como somos completamente escravas dos hormônios!.

O primeiro USG

outubro 10, 2007

embriao2.jpg

Fiz o primeiro USG numa sexta-feira a tarde, com a minha querida amiga Dra. B. Ela foi uma das pessoas que mais torceu e me incentivou nesta gravidez e eu queria muito que ela fizesse.

No dia anterior ao exame falei com ela pelo tel e ela me pareceu tensa….depois do exame me disse que estava morrendo de medo de algo não estar bem. Pelo menos não sou a única sou paranóica, hahaha. Acho que ser médica nestas horas é definitivamente ruim.  A gente, que fez medicina, tem na faculdade um aprendizado baseado principalmente em patologias e se esquece que 99% das gestações são perfeitamente normais. Essa estatística foi ignorada por mim.

Bom, o exame foi completamente normal, a bebê (agora eu já sei que é UMA bebê) estava linda, com 4mm, BCF (batimentos cardio-fetais) presente e 6 semanas e 1 dia de gestação. Não era um feijãozinho, mas um pequeno grão de arroz. Corpo lúteo com fluxo sanguíneo excelente (corpo lúteo= cisto no ovário que mantém a gravidez até a formação da placenta) e tudo maravilhosamente bem. Bom começo, eu diria. Na verdade, foi emocionante.

A descoberta da gravidez

outubro 10, 2007

omgpregnant.jpg

Como eu engravidei? Também me pergunto isso…hahaha. Claro que eu sei “como”, mas  não imaginei que o método habitual fosse o suficiente. Tenho SOP (pra quem não sabe, síndrome dos ovários policísticos e sempre, desde os 16 anos, todos os médicos me disseram que eu teria dificuldades pra engravidar. Meu ultimo G.O., antes da minha obstetra atual (aliás, incrível, depois eu falo dela), me disse numa consulta de rotina, que assim que eu quisesse engravidar, que fosse lá e ele me receitaria Clomid (um indutor de ovulação), assim;  logo de cara. Achei meio agressivo…

Bom, em setembro do ano passado, quando fomos a Zoropa, resolvemos parar de evitar. Chegamos aqui no Brasil e imediatamente eu descobri que minha mãe estava doente. Como uma boa filha que sou, resolvi postergar a gravidez e voltamos a evitar até maio deste ano (ela operou, se tratou e está bem), quando decidimos tentar de novo. Meu plano era o seguinte: tentaríamos por vias naturais por 6 meses, se não engravidasse, eu iria induzir a ovulação. Bom,  dia 23/05/2007 foi minha última mestruação e nunca mais, hahahahaha. Engravidei no primeiro mês de tentativas!

Explico: eu estava tomando Metformina devido aos ovários policísticos para proteger o pâncreas e controlar o peso e esse medicamento, nos casos de ovário policístico, podem ajudar na ovulação. Dito e feito!

Como eu sempre tive um ciclo irregular, lá pelo dia 5 de julho, com cerca de 15 dias de atraso, resolvi fazer um teste de gravidez de farmácia por puro desencargo e…eis quê, foi positivo no primeiro segundo (era pra esperar 5 minutos)…

Confirmei no laboratório no mesmo dia e….a paranóia começou! Claro que ficamos muito felizes e tal, mas como nada na minha vida foi tão fácil, sem luta, sem sofrimento, eu fiquei cabrera…não sabia se gestação era tópica (dentro do útero, não nas trompas), não sabia se o embrião era viável, se não abortaria, etc, etc, etc…sofri muito mesmo neste início, pensando que tudo poderia ser apenas um sonho e na manhã seguinte eu não teria mais nada daquilo.

Fiquei meio assim, sem muita coragem de contar pra ninguém, só pro marido, claro até o primeiro ultra-som, que fiz 3 dias depois…mas este eu conto num próximo post.